Dois Exemplos.

Efésios 4: 17-19   ”Assim, eu lhes digo, e no Senhor insisto, que não vivam mais como os gentios, que vivem na futilidade dos seus pensamentos. Eles estão obscurecidos no entendimento e separados da vida de Deus por causa da ignorância em que estão, devido ao endurecimento dos seus corações. Tendo perdido toda a sensibilidade, ele se entregaram à depravação, cometendo com avidez toda espécie de impureza. “

No estudo anterior, aprendemos a importância do Domínio Próprio na vida do cristão. Aprendemos também que o Domínio Próprio é como uma parede de proteção que nos circunda, reduzindo dramaticamente nossa vulnerabilidade com relação ao inimigo. Hoje, vamos estudar dois exemplos das duas palavras que aprendemos no estudo anterior: akrasia, que significa excesso e comodismo, e egkrateia, que significa comedido, temperado, com auto-controle. O estudo de hoje envolve muitas passagens para serem lidas. Por favor, complete cada lacuna e estará equipada para o próximo estudo!

Primeira parte : A vida de Akrasia ( excesso, comodismo, falta de limites)

Juízes 13:1-25  ” Os israelitas voltaram a fazer o que o Senhor reprova, e por isso o Senhor os entregou nas mãos dos filisteus durante quarenta anos. Certo homem de Zorá, chamado Manoá, do clã da tribo de Dã, tinha mulher estéril. Certo dia o anjo do Senhor apareceu a ela e lhe disse: “Você é estéril, não tem filhos, mas engravidará e dará à luz um filho. Todavia, tenha cuidado, não beba vinho nem outra bebida fermentada, e não coma nada impuro; e não se passará navalha na cabeça do filho que você vai ter, porque o menino será nazireu, consagrado a Deus desde o nascimento; ele iniciará a libertação de Israel das mãos dos filisteus”. Então a mulher foi contar tudo ao seu marido: “Um homem de Deus veio falar comigo. Era como um anjo de Deus, de aparência impressionante. Não lhe perguntei de onde tinha vindo, e ele não me disse o seu nome, mas ele me assegurou: ‘Você engravidará e dará à luz um filho. Todavia, não beba vinho nem outra bebida fermentada, e não coma nada impuro, porque o menino será nazireu, consagrado a Deus, desde o nascimento até o dia da sua morte’ “. Então Manoá orou ao Senhor: “Senhor, eu te imploro que o homem de Deus que enviaste volte para nos instruir sobre o que fazer com o menino que vai nascer”. Deus ouviu a oração de Manoá, e o anjo de Deus veio novamente falar com a mulher quando ela estava sentada no campo; Manoá, seu marido, não estava com ela. Mas ela foi correndo contar ao marido: “O homem que me apareceu outro dia está aqui! “ Manoá levantou-se e seguiu a mulher. Quando se aproximou do homem, perguntou: “És tu o que falaste com a minha mulher? ” “Sim”, disse ele. “Quando as suas palavras se cumprirem”, Manoá perguntou, “como devemos criar o menino? O que ele deverá fazer? “ O Anjo do Senhor respondeu: “Sua mulher terá que seguir tudo o que eu lhe ordenei. Ela não poderá comer nenhum produto da videira, nem vinho ou bebida fermentada, nem comer nada impuro. Terá que obedecer a tudo o que lhe ordenei”. Manoá disse ao Anjo do Senhor: “Gostaríamos que ficasses conosco; queremos oferecer-te um cabrito”. O anjo do Senhor respondeu: “Se eu ficar, não comerei nada. Mas, se você preparar um holocausto, ofereça-o ao Senhor”. Manoá não sabia que ele era o anjo do Senhor. Então Manoá perguntou ao anjo do Senhor: “Qual é o teu nome, para que te prestemos homenagem quando se cumprir a tua palavra? “ Ele respondeu: “Por que pergunta o meu nome? Meu nome está além do entendimento”. Então Manoá apanhou um cabrito e a oferta de cereal, e os ofereceu ao Senhor sobre uma rocha. E o Senhor fez algo estranho enquanto Manoá e sua mulher observavam: Quando a chama do altar subiu ao céu, o Anjo do Senhor subiu na chama. Vendo isso, Manoá e à sua mulher prostraram-se, rosto em terra. Como o Anjo do Senhor não voltou a manifestar-se a Manoá e à sua mulher, Manoá percebeu que era o Anjo do Senhor. “Sem dúvida vamos morrer! ” disse ele à mulher, “pois vimos a Deus! “Mas a sua mulher respondeu: “Se o Senhor tivesse a intenção de nos matar, não teria aceitado o holocausto e a oferta de cereal das nossas mãos, nem nos teria mostrado todas essas coisas, nem nos teria revelado o que agora nos revelou”. A mulher deu à luz um menino e pôs-lhe o nome de Sansão. Ele cresceu, e o Senhor o abençoou, e o Espírito do Senhor começou a agir nele quando ele se achava em Maané-Dã, entre Zorá e Estaol.”

Antes de Sansão ser concebido, Deus esperava que ele fosse ser um vaso que pudesse ser usado pelo Senhor, deu ordens expressas aos seus pais para que eles o dedicassem ao Senhor e disse que seria um Nazireu.

Números 6:1-20   “O Senhor disse ainda a Moisés: ”Diga o seguinte aos israelitas: Se um homem ou uma mulher fizer um voto especial, um voto de separação para o Senhor como nazireu, terá que se abster de vinho e de outras bebidas fermentadas e não poderá beber vinagre feito de vinho ou de outra bebida fermentada. Não poderá beber suco de uva nem comer uvas nem passas. Enquanto for nazireu, não poderá comer nada que venha da videira, nem mesmo as sementes ou as cascas. ”Durante todo o período de seu voto de separação, nenhuma lâmina será usada em sua cabeça. Até que termine o período de sua separação para o Senhor ele estará consagrado e deixará crescer o cabelo de sua cabeça. Durante todo o período de sua separação para o Senhor, não poderá aproximar-se de um cadáver. Mesmo que o seu próprio pai ou mãe ou irmã ou irmão morra, ele não poderá tornar-se impuro por causa deles, pois traz sobre a cabeça o símbolo de sua separação para Deus. Durante todo o período de sua separação, estará consagrado ao Senhor. ”Se alguém morrer repentinamente perto dele, contaminando assim o cabelo que consagrou, ele terá que rapar a cabeça sete dias depois, dia da sua purificação. No oitavo dia, trará duas rolinhas ou dois pombinhos ao sacerdote à entrada da Tenda do Encontro. O sacerdote oferecerá um como oferta pelo pecado e o outro como holocausto, para fazer propiciação por ele, pois pecou ao se aproximar de um cadáver. Naquele mesmo dia o nazireu reconsagrará a sua cabeça. Ele se dedicará ao Senhor pelo período de sua separação e trará um cordeiro de um ano de idade como oferta de reparação. Não se contarão os dias anteriores porque ficou contaminado durante a sua separação. ”Este é o ritual do nazireu quando terminar o período de sua separação: ele será trazido à entrada da Tenda do Encontro. Ali apresentará a sua oferta ao Senhor: um cordeiro de um ano e sem defeito como holocausto, uma cordeira de um ano e sem defeito como oferta pelo pecado, um carneiro sem defeito como oferta de comunhão juntamente com a sua oferta de cereal, com a oferta derramada e com um cesto de pães sem fermento com bolos feitos da melhor farinha amassada com azeite e pães finos untados com azeite. ”O sacerdote os apresentará ao Senhor e oferecerá o sacrifício pelo pecado e o holocausto. Apresentará o cesto de pães sem fermento e oferecerá o cordeiro como sacrifício de comunhão ao Senhor, juntamente com a oferta de cereal e a oferta derramada. ”Em seguida, à entrada da Tenda do Encontro, o nazireu rapará o cabelo que consagrou e o jogará no fogo que está embaixo do sacrifício da oferta de comunhão. ”Depois que o nazireu rapar o cabelo da sua consagração, o sacerdote lhe colocará nas mãos um ombro cozido do carneiro, um bolo e um pão fino tirados do cesto, ambos sem fermento. O sacerdote os moverá perante o Senhor como gesto ritual de apresentação; são santos e pertencem ao sacerdote, bem como o peito que foi movido e a coxa. Depois disso o nazireu poderá beber vinho.”

Lembre, no mínimo 3 comportamentos,  que eram exigidos dos que faziam os votos para ser um Nazireu:

______________________

______________________

______________________

Em condições normais, os votos do Nazireu eram voluntariamente  oferecidos ao Senhor. Eram  feitos por um tempo, para que  estivessem totalmente focados e santificados diante de Deus.

Atos 18:18   “Paulo permaneceu em Corinto por algum tempo. Depois despediu-se dos irmãos e navegou para a Síria, acompanhado de Priscila e Áqüila. Antes de embarcar, rapou a cabeça em Cencréia, devido a um voto que havia feito. “

- Por que Paulo raspou a cabeça quando ia sair de Coríntios?_____________________

Paulo tinha feito um voto Nazireu durante o tempo que esteve ministrando em Corintios. Estudante de culturas, ele conhecia sobre a perversão e descarada sensualidade praticada na cidade. Ele queria muito ministrar em lugares necessitados do mundo sem ser contaminado pelo pecado do mundo. O não cortar o cabelo era sua manifestação exterior de sua devoção. Era um meio, pelo qual sua posição seria conhecida de todos.

O Nazireu  fazia um voto de auto -controle, limitação e de extrema disciplina pessoal. Foi o voto que Deus requereu de Sansão para o tempo de sua vida.

Juízes 14: 1-20   “Sansão desceu a Timna e viu ali uma mulher do povo filisteu. Quando voltou para casa, disse a seu pai e a sua mãe: “Vi uma mulher filistéia em Timna; consigam essa mulher para ser minha esposa”. Seu pai e sua mãe lhe perguntaram: “Será que não há mulher entre os seus parentes ou entre todo o seu povo? Você tem que ir aos filisteus incircuncisos para conseguir esposa? ” Sansão, porém, disse ao pai: “Consiga-a para mim. É ela que me agrada”. Seus pais não sabiam que isso vinha do Senhor, que buscava ocasião contra os filisteus; pois naquela época eles dominavam Israel. Sansão foi para Timna com seu pai e sua mãe. Quando se aproximavam das vinhas de Timna, de repente um leão forte veio rugindo na direção dele. O Espírito do Senhor apossou-se de Sansão, e ele, sem nada nas mãos, rasgou o leão como se fosse um cabrito. Mas não contou nem ao pai nem à mãe o que fizera. Então foi conversar com a mulher de quem gostava. Algum tempo depois, quando voltou para casar-se com ela, Sansão saiu do caminho para olhar o cadáver do leão, e nele havia um enxame de abelhas e mel. Tirou o mel com as mãos e o foi comendo pelo caminho. Quando voltou aos seus pais, repartiu com eles o mel, e eles também comeram. Mas não lhes contou que tinha tirado o mel do cadáver do leão. Seu pai desceu à casa da mulher, e Sansão deu ali uma festa, como era costume dos noivos. Quando ele chegou, trouxeram-lhe trinta rapazes para o acompanharem na festa. ”Vou propor-lhes um enigma”, disse-lhes Sansão. “Se vocês puderem dar-me a resposta certa durante os sete dias da festa, então eu lhes darei trinta vestes de linho e trinta mudas de roupas. Se não conseguirem dar-me a resposta, vocês me darão trinta vestes de linho e trinta mudas de roupas. ” “Proponha-nos o seu enigma”, disseram. “Vamos ouvi-lo. “ Disse ele então: “Do que come saiu comida; do que é forte saiu doçura”. Durante três dias eles não conseguiram dar a resposta. No quarto dia disseram à mulher de Sansão: “Convença o seu marido a explicar o enigma. Caso contrário, poremos fogo em você e na família de seu pai, e vocês morrerão. Você nos convidou para nos roubar? “ Então a mulher de Sansão implorou-lhe aos prantos: “Você me odeia! Você não me ama! Você deu ao meu povo um enigma, mas não me contou a resposta! ” “Nem a meu pai e à minha mãe expliquei o enigma”, respondeu ele. “Por que deveria explicá-lo a você? “ Ela chorou durante o restante da semana da festa. Por fim, no sétimo dia, ele lhe contou, pois ela continuava a perturbá-lo. Ela, por sua vez, revelou o enigma ao seu povo. Antes do pôr-do-sol do sétimo dia, os homens da cidade vieram lhe dizer:  ”O que é mais doce que o mel? O que é mais forte que o leão? ” Sansão lhes disse:  ”Se vocês não tivessem arado com a minha novilha, não teriam solucionado o meu enigma”. Então o Espírito do Senhor apossou-se de Sansão. Ele desceu a Ascalom, matou trinta homens, pegou as suas roupas e as deu aos que tinham explicado o enigma. Depois, enfurecido, foi para a casa do seu pai. E a mulher de Sansão foi dada ao amigo que tinha sido o acompanhante dele no casamento. “

Na  descrição da vida de Sansão, observamos dois sinais sérios de akrasia ou falta de limites. Primeiro sinal , Sansão desrespeitava o sagrado.

- Onde ele encontrou o mel ?_________________________________

- Quais foram as duas coisas que ele fez com o mel? _________________________

Sansão não somente desconsiderou sua consagração, quanto a não tocar em animal morto, como também desrespeitou seus pais. Ele propositadamente fez com que seus pais quebrassem a lei judaica, sem saber, comeram  o mel de dentro de um animal morto. A perspectiva da desobediência de seus pais o divertia. Amadas, é perigoso tratar o caráter e as ordens de Deus com desrespeito. Desrespeito a autoridade dada por Deus,  no final , nunca trará bons frutos, e ainda o que se vai colher serão frutos terríveis.

O que essas passagens das Escrituras nos ensinam sobre a importância do respeito?

Exodos 20:12   “Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor teu Deus te dá.”____________________________

Gálatas 6: 7-8   “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá. Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna.”_____________________________________

O segundo sinal de  akrasia ( excesso, comodismo,falta de limites) observamos no seu inapropriado senso de humor. Ele tinha uma grande afinidade para praticar piadas e enigmas que eram motivados pela sua falta de respeito e eram sempre a custa dos outros. Podemos observar uma regra não dita, mas muitas vezes aceita entre cristãos: assuntos inapropriados são admissíveis, desde que sejam engraçados.  Podemos contar uma piada “picante”desde que seja engraçada. Podemos debochar de uma pessoa desde que faça todos rirem.

Pergunte a você mesmo as seguintes perguntas ( Também  estou perguntado a mim mesma):

- Você tem um senso de humor inapropriado? (   ) sim   (   ) não

- É  provável que você ria mais de uma piada indecorosa do que de uma limpa? (   ) sim   (   ) não

- Você frequentemente  fala de temas inapropriados? (   ) sim   (   ) não

- É para provocar risos? (   ) sim   (   ) não

Deus ama risos. Sua Palavra fala em Provérbios 17:22 que “O coração bem disposto é remédio eficiente, mas o espírito oprimido resseca os ossos. ” Mas quando brincamos com o caráter de Deus, com outro caráter ou com nosso próprio caráter, esse remédio se torna tóxico.  Não devemos misturar santidade com humor. Isso é sabedoria!

Juízes 16: 1-31   “Certa vez Sansão foi a Gaza, viu ali uma prostituta, e passou a noite com ela.Disseram ao povo de Gaza: “Sansão está aqui! ” Então cercaram o local e ficaram à espera dele a noite toda, junto à porta da cidade. Não se moveram a noite inteira, dizendo: “Ao amanhecer o mataremos”.Sansão, porém, ficou deitado só até à meia-noite. Levantou-se, agarrou firme a porta da cidade, juntamente com os dois batentes, e os arrancou, com tranca e tudo. Pôs tudo nos ombros e levou ao topo da colina que fica defronte de Hebrom.Depois dessas coisas, ele se apaixonou por uma mulher do vale de Soreque, chamada Dalila.Os líderes dos filisteus foram dizer a ela: “Veja se você consegue induzi-lo a mostrar-lhe o segredo da sua grande força e como poderemos dominá-lo, para que o amarremos e o subjuguemos. Cada um de nós dará a você treze quilos de prata”.Disse, pois, Dalila a Sansão: “Conte-me, por favor, de onde vem a sua grande força e como você pode ser amarrado e subjugado”.Respondeu-lhe Sansão: “Se alguém me amarrar com sete tiras de couro ainda úmidas, ficarei tão fraco quanto qualquer outro homem”.Então os líderes dos filisteus trouxeram a ela sete tiras de couro ainda úmidas, e Dalila o amarrou com elas.Tendo homens escondidos no quarto, ela o chamou: “Sansão, os filisteus o estão atacando! ” Mas ele arrebentou as tiras de couro como se fossem um fio de estopa que chega perto do fogo. Assim, não se descobriu de onde vinha a sua força.Disse Dalila a Sansão: “Você me fez de boba; mentiu para mim! Agora conte-me, por favor, como você pode ser amarrado”.Ele disse: “Se me amarrarem firmemente com cordas que nunca tenham sido usadas, ficarei tão fraco quanto qualquer outro homem”.Dalila o amarrou com cordas novas. Depois, tendo homens escondidos no quarto, ela o chamou: “Sansão, os filisteus o estão atacando! ” Mas ele arrebentou as cordas de seus braços como se fossem uma linha.Disse Dalila a Sansão: “Até agora você me fez de boba e mentiu para mim. Diga-me como pode ser amarrado”. Ele respondeu: “Se você tecer num pano as sete tranças da minha cabeça e o prender com uma lançadeira, ficarei tão fraco quanto qualquer outro homem”. Assim, quando ele dormia, Dalila teceu as sete tranças da sua cabeça num pano e o prendeu com a lançadeira. Novamente ela o chamou: “Sansão, os filisteus estão vindo sobre você! ” Ele despertou do sono e arrancou a lançadeira e o tear, junto com os fios do tear. Então ela lhe disse: “Como você pode dizer que me ama, se não confia em mim? Esta é a terceira vez que você me fez de boba e não contou o segredo da sua grande força”. Importunando-o o tempo todo, ela o esgotava dia após dia, ficando ele a ponto de morrer. Por isso ele lhe contou o segredo: “Jamais se passou navalha em minha cabeça”, disse ele, “pois sou nazireu, desde o ventre materno. Se fosse rapado o cabelo da minha cabeça, a minha força se afastaria de mim, e eu ficaria tão fraco quanto qualquer outro homem”. Quando Dalila viu que Sansão lhe tinha contado todo o segredo, enviou esta mensagem aos líderes dos filisteus: “Subam mais esta vez; pois ele me contou todo o segredo”. Os líderes dos filisteus voltaram a ela levando a prata. Fazendo-o dormir no seu colo, ela chamou um homem para cortar as sete tranças do cabelo dele, e assim começou a subjugá-lo. E a sua força o deixou. Então ela chamou: “Sansão, os filisteus o estão atacando! ” Ele acordou do sono e pensou: “Sairei como antes e me livrarei”. Mas não sabia que o Senhor o tinha deixado. Os filisteus o prenderam, furaram os seus olhos e o levaram para Gaza. Prenderam-no com algemas de bronze, e o puseram a girar um moinho na prisão. Mas, logo o cabelo da sua cabeça começou a crescer de novo. Então os líderes dos filisteus se reuniram para oferecer um grande sacrifício a seu deus Dagom e para festejar, comemorando: “O nosso deus entregou o nosso inimigo Sansão em nossas mãos”. Quando o povo o viu, louvou o seu deus:  ”O nosso deus nos entregou o nosso inimigo, o devastador da nossa terra, aquele que multiplicava os nossos mortos”. Com o coração cheio de alegria, gritaram: “Tragam-nos Sansão para nos divertir! ” E mandaram trazer Sansão da prisão, e ele os divertia. Quando o puseram entre as colunas, Sansão disse ao jovem que o guiava pela mão: “Ponha-me onde eu possa apalpar as colunas que sustentam o templo, para que eu me apóie nelas”. Homens e mulheres lotavam o templo; todos os líderes dos filisteus estavam presentes, e no alto, na galeria, havia cerca de três mil homens e mulheres vendo Sansão, que os divertia. E Sansão orou ao Senhor: “Ó Soberano Senhor, lembra-te de mim! Ó Deus, eu te suplico, dá-me forças, mais uma vez, e faze com que eu me vingue dos filisteus por causa dos meus dois olhos! “ Então Sansão forçou as duas colunas centrais sobre as quais o templo se firmava. Apoiando-se nelas, tendo a mão direita numa coluna e a esquerda na outra, disse: “Que eu morra com os filisteus! ” Então, ele as empurrou com toda a força, e o templo desabou sobre os líderes e sobre todo o povo que ali estava. Assim, na sua morte, Sansão matou mais homens do que em toda a sua vida. Foram então os seus irmãos e toda a família do seu pai para buscá-lo. Trouxeram-no e o sepultaram entre Zorá e Estaol, no túmulo de Manoá, seu pai. Sansão liderou Israel durante vinte anos. “

A fraqueza de Sansão pelas mulheres resultaram numa atração fatal. Se o amor é cego, no caso dele é duas vezes mais cego. Seus excessos nos prazeres da carne foi acompanhado por seus excessos em fazer piadas – e a mistura foi mortal. Sansão com uma queixada de jumento feriu 15.000 homens , mas foi vencido por uma única e pequena mulher. Dalila foi a desgraça dele. Os olhos  de Sansão foram arrancados por causa de Dalila, tinham estado cegos para Deus, para a família e a integridade.Um homem, cuja toda a sua existência era para ser um exemplo de devoção e auto -controle, viveu praticamente toda a sua vida fora de controle. Com tristeza, podemos dizer que a morte de Sansão foi mais eficaz do que a sua vida.

Efésios 4: 17-19   Assim, eu lhes digo, e no Senhor insisto, que não vivam mais como os gentios, que vivem na futilidade dos seus pensamentos. Eles estão obscurecidos no entendimento e separados da vida de Deus por causa da ignorância em que estão, devido ao endurecimento dos seus corações. Tendo perdido toda a sensibilidade, ele se entregaram à depravação, cometendo com avidez toda espécie de impureza. “

Pelo exemplo de Sansão podemos chegar as seguintes conclusões:

- Falta de Domínio Próprio rouba a sensibilidade para o Espírito Santo de Deus. Ele tinha caído tanto, ao ponto de estar inconsciente da presença do Espírito Santo.

- Falta de Domínio Próprio nos tira a nossa verdadeira força. A força de Sansão não estava no seu cabelo. Seu cabelo era simplesmente uma manifestação externa da sua consagração. A supernatural força de Sansão foi criada pelo Espírito de Deus que estava sobre ele, e como  continuamente  ignorava a Deus e dava  lugar a carne, sua força se foi.

Falata de Domínio próprio, tanto nos excessos, como no comodismo, são insaciáveis. Vidas dominadas pela paixões da carne, nunca estão satisfeitas e aqueles que tem sede pela perversidade, nunca se saciam. O ciclo da falta de auto-controle nunca termina. Agora vamos dar uma olhada numa vida que é o contraste de Sansão.

Segunda Parte: A vida de Egkrateia ( que tem Auto- controle, comedida )

Daniel 1:1-21   “No terceiro ano do reinado de Jeoaquim, rei de Judá, Nabucodonosor, rei da Babilônia, veio a Jerusalém e a sitiou.E o Senhor entregou Jeoaquim, rei de Judá, nas suas mãos, e também alguns dos utensílios do templo de Deus. Ele levou os utensílios para o templo do seu deus na terra de Sinear e os colocou na casa do tesouro do seu deus.Então o rei ordenou que Aspenaz, o chefe dos oficiais da sua corte, trouxesse alguns dos israelitas da família real e da nobreza; jovens sem defeito físico, de boa aparência, cultos, inteligentes, que dominassem os vários campos do conhecimento e fossem capacitados para servir no palácio do rei. Ele devia ensinar-lhes a língua e a literatura dos babilônios. O rei designou-lhes uma porção diária de comida e de vinho da própria mesa do rei. Eles receberiam um treinamento durante três anos, e depois disso passariam a servir o rei. Entre esses estavam alguns que vieram de Judá: Daniel, Hananias, Misael e Azarias. O chefe dos oficiais deu-lhes novos nomes: a Daniel deu o nome de Beltessazar; a Hananias, Sadraque; a Misael, Mesaque; e a Azarias, Abede-Nego. Daniel, contudo, decidiu não se tornar impuro com a comida e com o vinho do rei, e pediu ao chefe dos oficiais permissão para se abster deles. E Deus fez com que o homem fosse bondoso para com Daniel e tivesse simpatia por ele. Apesar disso, ele disse a Daniel: “Tenho medo do rei, o meu senhor, que determinou a comida e a bebida de vocês. E se ele os achar menos saudáveis que os outros jovens da mesma idade? O rei poderia pedir a minha cabeça por causa de vocês”. Daniel disse então ao homem que o chefe dos oficiais tinha encarregado de cuidar de Daniel, Hananias, Misael e Azarias: “Peço-lhe que faça uma experiência com os seus servos durante dez dias: Não nos dê nada além de vegetais para comer e água para beber. Depois compare a nossa aparência com a dos jovens que comem a comida do rei, e trate os seus servos de acordo com o que você concluir”. Ele concordou e fez a experiência com eles durante dez dias. Passados os dez dias eles pareciam mais saudáveis e mais fortes do que todos os jovens que comiam a comida da mesa do rei. Assim o encarregado tirou a comida especial e o vinho que haviam sido designados e em lugar disso lhes dava vegetais. A esses quatro jovens Deus deu sabedoria e inteligência para conhecerem todos os aspectos da cultura e da ciência. E Daniel, além disso, sabia interpretar todo tipo de visões e sonhos. Ao final do tempo estabelecido pelo rei para que os jovens fossem trazidos à sua presença, o chefe dos oficiais os apresentou a Nabucodonosor. O rei conversou com eles, e não encontrou ninguém comparável a Daniel, Hananias, Misael e Azarias; de modo que eles passaram a servir o rei. O rei lhes fez perguntas sobre todos os assuntos nos quais se exigia sabedoria e conhecimento, e descobriu que eram dez vezes mais sábios do que todos os magos e encantadores de todo o seu reino. E Daniel permaneceu ali até o primeiro ano do rei Ciro. “

- Que tipo de alimento foi oferecido a Daniel?_____________________

- Que alimento Daniel pediu?________________________________

- Por que ele recusou a comida do rei (v.8)?_______________________

- Qual foi a diferença entre a atitude de Daniel com relação a comida do rei e a atitude de Sansão com relação ao mel?_________________________

Marque com Verdadeiro ou Falso o resultado da posição de Daniel em não comer a comida do rei.

(   ) Ele e seus amigos estavam mais saudáveis do que os outros jovens.

(   ) Eles obtiveram favor do oficial do rei.

(   ) O rei ordenou que todos os servos comessem vegetais.

(   ) Deus deu mais sabedoria e entendimento aos quatro.

Daniel 6: 1-28   “Dario achou por bem nomear cento e vinte sátrapas para governarem todo o reino;
e colocou três supervisores sobre eles, um dos quais era Daniel. Os sátrapas tinham que prestar contas a eles para que o rei não sofresse nenhuma perda. Ora, Daniel se destacou tanto entre os supervisores e os sátrapas por suas grandes qualidades, que o rei planejava colocá-lo à frente do governo de todo o império. Diante disso, os supervisores e os sátrapas procuraram motivos para acusar Daniel em sua administração governamental, mas nada conseguiram. Não puderam achar falta alguma nele, pois ele era fiel; não era desonesto nem negligente. Finalmente esses homens disseram: “Jamais encontraremos algum motivo para acusar esse Daniel, a menos que seja algo relacionado com a lei do Deus dele”. E assim os supervisores e os sátrapas de comum acordo foram falar com o rei: “Ó rei Dario, vive para sempre! Todos os supervisores reais, os prefeitos, os sátrapas, os conselheiros e os governadores concordaram em que o rei deve emitir um decreto ordenando que todo aquele que orar a qualquer deus ou a qualquer homem nos próximos trinta dias, exceto a ti, ó rei, seja atirado na cova dos leões. Agora, ó rei, emite o decreto e assina-o para que não seja alterado, conforme a lei dos medos e dos persas, que não pode ser revogada”. E o rei Dario assinou o decreto. Quando Daniel soube que o decreto tinha sido publicado, foi para casa, para o seu quarto, no andar de cima, onde as janelas davam para Jerusalém. Três vezes por dia ele se ajoelhava e orava, agradecendo ao seu Deus, como costumava fazer. Então aqueles homens foram ver e encontraram Daniel orando, pedindo ajuda a Deus. Assim foram falar com o rei acerca do decreto real: “Tu não publicaste um decreto ordenando que nos próximos trinta dias todo aquele que fizesse algum pedido a qualquer deus ou a qualquer homem, exceto a ti, ó rei, seria lançado na cova dos leões? ” O rei respondeu: “O decreto está em vigor, conforme a lei dos medos e dos persas, que não pode ser revogada”. Então disseram ao rei: “Daniel, um dos exilados de Judá, não te dá ouvidos, ó rei, nem ao decreto que assinaste. Ele continua orando três vezes por dia”. Quando o rei ouviu isso, ficou muito contrariado, e como estava decidido a salvar Daniel, até o pôr-do-sol fez todo o esforço que pôde para livrá-lo. Mas os homens lhe disseram: “Lembra-te, ó rei, que, conforme a lei dos medos e dos persas, nenhum decreto ou edito do rei pode ser modificado”. Então o rei deu ordens, e eles trouxeram Daniel e o jogaram na cova dos leões. O rei, porém, disse a Daniel: “Que o seu Deus, a quem você serve continuamente, o livre! “ Taparam a cova com uma pedra, e o rei a selou com o seu próprio anel-selo e com os anéis dos seus nobres, para que a situação de Daniel não se modificasse. Tendo voltado ao palácio, o rei passou a noite sem comer e não aceitou nenhum divertimento em sua presença. Além disso, não conseguiu dormir. Logo ao alvorecer, o rei se levantou e correu para a cova dos leões. Quando ia se aproximando da cova, chamou Daniel com voz aflita: “Daniel, servo do Deus vivo, será que o seu Deus, a quem você serve continuamente, pôde livrá-lo dos leões? “ Daniel respondeu: “Ó rei, vive para sempre! O meu Deus enviou o seu anjo, que fechou a boca dos leões. Eles não me fizeram mal algum, pois fui considerado inocente à vista de Deus. Também contra ti não cometi mal algum, ó rei”. O rei muito se alegrou e ordenou que tirassem Daniel da cova. Quando o tiraram da cova, viram que não havia nele nenhum ferimento, pois ele tinha confiado no seu Deus. E por ordem do rei, os homens que tinham acusado Daniel foram atirados na cova dos leões, juntamente com as suas mulheres e os seus filhos. E, antes de chegarem ao fundo, os leões os atacaram e despedaçaram todos os seus ossos. Então o rei Dario escreveu aos homens de todas as nações, povos e línguas de toda a terra: “Paz e prosperidade! ”Estou editando um decreto para que nos domínios do império os homens temam e reverenciem o Deus de Daniel. “Pois ele é o Deus vivo e permanece para sempre; o seu reino não será destruído, o seu domínio jamais acabará. Ele livra e salva; faz sinais e maravilhas nos céus e na terra. Ele livrou Daniel do poder dos leões”. Assim Daniel prosperou durante os reinados de Dario e de Ciro, o persa. “

- O que podemos aprender sobre Daniel das palavras do verso 10 ( Quando Daniel soube que o decreto tinha sido publicado, foi para casa, para o seu quarto, no andar de cima, onde as janelas davam para Jerusalém. Três vezes por dia ele se ajoelhava e orava, agradecendo ao seu Deus, como costumava fazer. )?

(   ) Ele era fiel nas orações.

(   ) Ele temeu os oficiais do rei.

- Como Deus interviu no vida de Daniel?__________________________

- O que o rei Dario respondeu quando resgatou Daniel vivo?_____________

- Qual o testemunho da vida de  Daniel que podemos tirar no verso 28? ______________

Daniel não teve pânico, mas não ignorou o edito real. Ele simplesmente se colocou de joelhos e fez seu pedido. Vamos tirar algumas conclusões do Dominio Próprio de Daniel:

- Disciplina física e disciplina espiritual frequentemente caminham juntas. Sansão não tinha nenhuma, enquanto Daniel tinha as 2.

- Ser disciplinado nos prepara para as situações do presente. O tempo para estarmos preparados para uma crise, esta  diretamente relacionado a nossa vida de oração. Requer disciplina para formar o hábito de orar e auto-controle para suportar os obstáculos que aparecem.

- Domínio próprio aumente a eficácia, e a falta de domínio limita a eficácia. Muitos de nós não irão afetar este planeta  como Deus planejava por causa da nossa pura falta de auto-controle e disciplina.

- Auto -controle por amar a Deus abre as portas para as bençãos do Senhor. Auto-controle faz  prosperar; a falta de auto-controle leva a destruição.

Considere isso: 2 saudáveis e nobres jovens.

- Um recusou sua chamada de consagração.  Outro escolheu se consagrar.

- Um pegou mais do que foi oferecido. O outro resistiu ao que foi oferecido.

- Um recebeu o poder de Deus e no final perdeu. Um pediu o poder de Deus e no final encontrou.

- Um foi vencido pelos inimigos. O outro venceu os inimigos.

- Um foi vitorioso na sua morte. O outro foi vitorioso em sua vida.

Os dois eram jovens que tinham vidas reais e escolhas para serem feitas, mas ocorreu uma grande diferença entre eles, um tinha um muro de proteção de auto-disciplina e o outro não tinha.

- Como você acha que Deus quer que você responda para o que Ele está te mostrando hoje?__________________________________

- O que mais te afeta : a história de Sansão ou a história de Daniel?________________

Beth Moore

Share
Posted in biblia, estudo by agnes at January 25th, 2013.
Tags: ,