João 8 – Jesus é Deus – 2 Parte

João 8:12 “Falando novamente ao povo, Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida”.

 João 8:56-59 “Abraão, pai de vocês, regozijou-se porque veria o meu dia; ele o viu e alegrou-se”.Disseram-lhe os judeus: “Você ainda não tem cinqüenta anos, e viu Abraão? “Respondeu Jesus: “Eu lhes afirmo que antes de Abraão nascer, Eu Sou! “Então eles apanharam pedras para apedrejá-lo, mas Jesus escondeu-se e saiu do templo.”

 Quando Jesus se fez carne, passou a ser humano. Participou da nossa natureza; submeteu-se à experiência humana. Assim, experimentou a fome, a sede, o cansaço.

 Filipenses 2:6-8 “pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz” .

 É importante entendermos que, quando Jesus se fez homem, não deixou de ser Deus. Ele era Deus vivendo como homem. Mas restringiu-se a forma e a limitações muito diferentes da natureza de sua existência eterna. Ao afirmar que Jesus é Deus, então, não estamos tentando negar a realidade de Jesus ter-se tornado um ser humano verdadeiro.

Afirmar que Jesus é Deus não é afirmar que ele é o Pai.

É revelado nas Escrituras uma nítida diferença entre o papel do Pai e o do Filho. Uma delas é que foi o Filho que se fez carne, não o Pai. Mas, o que é mais fundamental, o Pai se revela na Palavra como o planejador e diretor, e o Filho, como o concretizador. O Filho submeteu-se à vontade do Pai.

 João 14: 28 “O Pai é maior do que eu”

 Entendemos que, de acordo com as Escrituras, o marido deve ser o cabeça da esposa, e ela deve submeter-se ao marido. Mas isso não significa que o marido seja superior em essência; simplesmente tem um papel de autoridade. Tanto marido quanto mulher são plena e igualmente humanos. Da mesma forma, a liderança do Pai e a submissão do Filho não implicam diferença de natureza. Ambos são plena e igualmente divinos.

 A Bíblia deixa bem claro que Jesus é Deus.

Isaías 9:6 “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”.

O menino que haveria de nascer se chamaria “Deus Forte”.

João 1:1: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus”.

 O Verbo é Jesus.

 João 1:14Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade.

 Jesus não só estava com Deus, mas era Deus. Isso parece confuso a princípio. Mas analise este exemplo simples. Meu nome é Ana Silva. O nome de meu marido é Marcos Silva. Se ele estivesse aqui comigo agora, seria possível dizer: “Ana está com Silva e Ana é Silva”. No primeiro caso, Silva refere-se a mim especificamente; no segundo, é usado como o nome da família . Jesus estava com Deus (o Pai) e era ele mesmo Deus (também compartilhava da natureza de ser Deus).

João10:30 “Eu e o Pai somos um”.

João 14: 7-9 “Se vós me tivésseis conhecido, conheceríeis também a meu Pai. Desde agora o conheceis e o tendes visto. Replicou-lhe Filipe: Senhor mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?” .

João 8:56-59 “Abraão, pai de vocês, regozijou-se porque veria o meu dia; ele o viu e alegrou-se”.Disseram-lhe os judeus: “Você ainda não tem cinqüenta anos, e viu Abraão? “Respondeu Jesus: “Eu lhes afirmo que antes de Abraão nascer, Eu Sou! “Então eles apanharam pedras para apedrejá-lo, mas Jesus escondeu-se e saiu do templo.

Somente Deus deve ser adorado. Adorar a criatura é idolatria e é terminantemente proibido nas Escrituras.

Romanos 1:25Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém.

Mateus 4:10 “Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto”

 Pedro recusou-se a permitir que Cornélio se curvasse diante dele .

Atos 10:25-26 “Quando Pedro ia entrando na casa, Cornélio dirigiu-se a ele e prostrou-se aos seus pés, adorando-o.Mas Pedro o fez levantar-se, dizendo: “Levante-se, eu sou homem como você”.

Paulo e Barnabé ficaram abismados quando o povo de Listra se preparou para adorá-los como deuses.

Atos 14:14-15 “Porém, ouvindo isto, os apóstolos Barnabé e Paulo, rasgando as suas vestes, saltaram para o meio da multidão, clamando: Senhores, por que fazeis isto? Nós também somos homens como vós, sujeitos aos mesmos sentimentos, e vos anunciamos o evangelho para que destas cousas vãs vos convertais ao Deus vivo, que fez o céu, a terra o mar e tudo o que há neles”.

É bem notável, então, que Jesus tenha aceitado a adoração do homem.

 Mateus 14:33 “os que estavam no barco o adoraram, dizendo: Verdadeiramente és Filho de Deus!”

 Jesus não os repreendeu por louvá-lo.

João 9:38 Então o homem disse: “Senhor, eu creio”. E o adorou.”

 Várias vezes os discípulos adoraram a Jesus após a ressurreição, e Jesus jamais deu a entender que aquilo não era certo.

Mateus 28:9,17 De repente, Jesus as encontrou e disse: “Salve! ” Elas se aproximaram dele, abraçaram-lhe os pés e o adoraram.”( Maria Madalena e a outra Maria)Quando o viram o adoraram; mas alguns duvidaram.”(os 11 discípulos )

Jesus ensinou de modo claro.

João 5:23 “Que todos honrem o Filho do modo por que honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que o enviou”

Essas declarações de adoração a Jesus Cristo constituem a mais forte prova de sua divindade. As Escrituras declaram, sem hesitar, que somente Deus deve ser adorado, mas Jesus é adorado no céu pelas mais elevadas criaturas celestes. Jesus é até ligado ao Pai na mesma declaração de louvor.

Filipenses 2: 9-11   ”Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai”.

João 14:6   “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai a não ser por mim.”

João 6:35   “ Então Jesus declarou: “Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede.”

João 9:5 “Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo”.

João 10:9 “Eu sou a porta; quem entra por mim será salvo. Entrará e sairá, e encontrará pastagem”.

João 10:11 “Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a sua vida pelas ovelha”.1 “

João 10:36 “que dizer a respeito daquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo? Então, por que vocês me acusam de blasfêmia porque eu disse: ‘Sou Filho de Deus’?

Êxodo 3:13-15 “Moisés perguntou: “Quando eu chegar diante dos israelitas e lhes disser: O Deus dos seus antepassados me enviou a vocês, e eles me perguntarem: ‘Qual é o nome dele? ’ Que lhes direi? “Disse Deus a Moisés: “Eu Sou o que Sou. É isto que você dirá aos israelitas: Eu Sou me enviou a vocês”.Disse também Deus a Moisés: “Diga aos israelitas: O Senhor, o Deus dos seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó, enviou-me a vocês. Esse é o meu nome para sempre, nome pelo qual serei lembrado de geração em geração.”

Observações e Aplicações

- O arbusto não foi consumido, nem nós seremos consumidos se estivermos na Palavra.

- O exemplo de Sadraque , Mesaque e Abedenego adorando somente o verdadeiro Deus vivo.

-Deus é capaz de nos livrar não importa a situação.

- Jesus é o mesmo “Eu sou”que falou a Moisés no arbusto queimando…Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre.

-Ele pode suprir onde somos fracos.

- Só tem um caminho para Deus, o Pai.

Não há como negar a divindade de Jesus. Ele é tudo de bom que nós queremos que Ele seja!Porque Ele é o grande “EU SOU”.



Share
Postado por Agnes nas categorias biblia, estudo em May 21st, 2014. No Comments.

João 8 – 1 Parte

Precisamos ter muito cuidado com o que pensamos . Se esses pensamentos não são bons, saudáveis ou nobres precisam ser reavaliados  para pensarmos em um novo caminho. Nosso cerebro é composto de elementos fisiológicos, elétricos e químicos. Há caminhos saudáveis e até automáticos em nosso cérebro, como por exemplo: quando dirigimos e nem precisamos pensar no que  estamos exatamente fazendo, são caminhos que o nosso cérebro faz a partir de condutas anteriores.

E quando esses caminhos não são bons , nem saudáveis? Como exemplo:quando ouvimos o nome de uma pessoa que nos causou algum mal…o cérebro automaticamente traça o caminho do sentimento, do peso e da angústia com relação a essa pessoa.

No caso do texto de João 8, quando a mulher a adúltera é trazida a presença de Jesus. A culpa e a vergonha governam a sua vida. Não adianta colocar uma roupa nova se ela está manchada de café. É necessário lavar a causa. Não adianta fazer coisas boas para apagar o remorso, só Jesus lava a culpa. Jesus nos leva do sentimento de culpa para a sua maravilhosa graça, que é um favor que não merecemos.

Provérbios 4:23 “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida.”

Romanos 12:2 Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

 1. Deus nos dá o caminho para nos tirar da culpa.

João 8: 1-11 Jesus, porém, foi para o monte das Oliveiras. Ao amanhecer ele apareceu novamente no templo, onde todo o povo se reuniu ao seu redor, e ele se assentou para ensiná-lo. Os mestres da lei e os fariseus trouxeram-lhe uma mulher surpreendida em adultério. Fizeram-na ficar em pé diante de todos e disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em ato de adultério. Na Lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. E o senhor, que diz? ” Eles estavam usando essa pergunta como armadilha, a fim de terem uma base para acusá-lo. Mas Jesus inclinou-se e começou a escrever no chão com o dedo. Visto que continuavam a interrogá-lo, ele se levantou e lhes disse: “Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela”. Inclinou-se novamente e continuou escrevendo no chão. Os que o ouviram foram saindo, um de cada vez, começando com os mais velhos. Jesus ficou só, com a mulher em pé diante dele. Então Jesus pôs-se de pé e perguntou-lhe: “Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou? ” “Ninguém, Senhor”, disse ela. Declarou Jesus: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado”

Como receber a graça de Deus que nos livra da culpa? 

Em Mateus 9 vemos a história de Mateus, que era coletor de impostos, quando se encontrou com Jesus sua vida mudou. Jesus não o condenou, isso é graça, mas ele nunca mais foi o mesmo, mudou sua forma de viver. O mesmo ocorreu com Zaqueu. Ninguém é mau ou ruim demais para Jesus.

  •  Lembre: Deus é amoroso e misericordioso.
  • Admita que é pecadora.

  • Aceite Jesus Cristo como seu Salvador – Ele pagpu o preço na cruz pelos seus pecados.

  • Aprenda a Palavra de Deus e ouça a voz do Espírito Santo. Cresça espiritualmente.

  • Confesse seus erros honestamente e especificadamente rapidamente.

  • Peça a Deus para te perdoar.

  • Aceite a graça de Deus.

 Viva de forma que mostre que aceitou a graça de Deus.

 João 8:11 “Ninguém, Senhor”, disse ela. Declarou Jesus: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado”

Tito 2: 11,12 “Porque a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens.
Ela nos ensina a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente.”

 A graça de Deus nos muda e tira a culpa.

2.A Graça é um presente de Deus para você e você deve tornar-se um presente de Deus para outras pessoas.

 Mateus 6:12 “Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores.

Marcos 11: 24-25 “Portanto, eu lhes digo: tudo o que vocês pedirem em oração, creiam que já o receberam, e assim lhes sucederá.E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados”.

Mateus 18: 21-35 “Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes? “Jesus respondeu: “Eu lhe digo: não até sete, mas até setenta vezes sete. “Por isso, o Reino dos céus é como um rei que desejava acertar contas com seus servos. Quando começou o acerto, foi trazido à sua presença um que lhe devia uma enorme quantidade de prata. Como não tinha condições de pagar, o senhor ordenou que ele, sua mulher, seus filhos e tudo o que ele possuía fossem vendidos para pagar a dívida. ”O servo prostrou-se diante dele e lhe implorou: ‘Tem paciência comigo, e eu te pagarei tudo’.O senhor daquele servo teve compaixão dele, cancelou a dívida e o deixou ir.”Mas quando aquele servo saiu, encontrou um de seus conservos, que lhe devia cem denários. Agarrou-o e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Pague-me o que me deve! ’”Então o seu conservo caiu de joelhos e implorou-lhe: ‘Tenha paciência comigo, e eu lhe pagarei’. “Mas ele não quis. Antes, saiu e mandou lançá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Quando os outros servos, companheiros dele, viram o que havia acontecido, ficaram muito tristes e foram contar ao seu senhor tudo o que havia acontecido.”Então o senhor chamou o servo e disse: ‘Servo mau, cancelei toda a sua dívida porque você me implorou.  Você não devia ter tido misericórdia do seu conservo como eu tive de você? ’Irado, seu senhor entregou-o aos torturadores, até que pagasse tudo o que devia. “Assim também lhes fará meu Pai celestial, se cada um de vocês não perdoar de coração a seu irmão”.

 Quem vive pela graça:

  • Dá esperança e vida a quem está a sua volta.

  • Mostra humildade.

  • Mostra favor.

  • Dá espaço para crescimento.

  • É generosa, misericordiosa, perdoadora, paciente e tolerante.

  • Fica equilibrado em situações difíceis.

  • Se avalia antes de julgar os outros.

  • Tem prazer na vida e nos relacionamentos.

Share
Postado por Agnes nas categorias biblia, estudo em May 21st, 2014. No Comments.

João 7

João 7 mostra uma série de confrontos entre Jesus e os príncipes dos sacerdotes e os anciãos em Jerusalém. Esses líderes espirituais que eram respeitados especialistas em lei mosaica deveriam ter sido os primeiros a reconhecerem e acolherem Jesus como o Messias prometido . Em vez disso, eles sempre se opuseram a ele e conspiravam para assassiná-lo .

Há ensinos importantes quando testemunhamos a rejeição trágica sofrida por Jesus.

 Jesus foi julgado 4 vezes:

1 – Segundo a aparência.

    1. os irmãos de Jesus lhe disseram: “Você deve sair daqui e ir para a Judéia, para que os seus discípulos possam ver as obras que você faz.Ninguém que deseja ser reconhecido publicamente age em segredo. Visto que você está fazendo estas coisas, mostre-se ao mundo”.

Quem disse que Jesus queria ser conhecido em público?Jesus não queria dar um show, nem aparecer;os seus irmãos julgam erradamente, não conheciam as razões reais dos milagres que Jesus fazia e o mandam ir a Jerusalém para que apareça e se faça conhecer.Todas as vezes que nos dispomos a fazer algo, tem sempre gente que acha que queremos aparecer.Julgamos as pessoas tomando nós mesmos por critério.

Julgar segundo a aparência leva a resistência ao mover de Deus e a voz do Espírito Santo porque sempre acha que tem algo por trás. A aparência não era como a pessoa imaginou que devia ser.

2- Julgamento da Atitude

O povo julgava: é bom ou um enganador?Jesus curava no sábado, falava com mulheres e prostitutas,comia com pecadores. Ele tem demônio? Ele é bom ou mau?

Obs: Toda pessoa desconfiada não é confiável. Ela avalia o outro por si mesma.

           Toda pessoa ciumenta tem vontade de trair. Pensa que o cônjuge é como ela.

3- Julgamento do Conhecimento

    1. Como foi que este homem adquiriu tanta instrução, sem ter estudado? “

      Deus que que tenhamos o conhecimento que vem Dele. Não é porque estudou que vai ser ministro de Deus. Deus usa os que dependem Dele. Jesus não era um Rabino.

4- Julgamento Teológico.

v.26Aqui está ele, falando publicamente, e não lhe dizem uma palavra. Será que as autoridades chegaram à conclusão de que ele é realmente o Cristo?”

v.27 “Mas nós sabemos de onde é este homem; quando o Cristo vier, ninguém saberá de onde ele é”.

v.47 “Outros disseram: “Ele é o Cristo”. Ainda outros perguntaram: “Como pode o Cristo vir da Galiléia?

Jesus foi julgado por uma teologia torta. No livro de Miquéias 5:2 “Mas tu, Belém-Efrata, embora sejas pequena entre os clãs de Judá, de ti virá para mim aquele que será o governante sobre Israel. Suas origens estão no passado distante, em tempos antigos. “

A questão teológica era um embaraço ao mover de Deus. Deus faz como Ele quer, na hora que ele quer e com quem Ele quer.Por causa dos nossos “achismos” podemos ficar de fora.

 V. 24 “Não julgueis pela aparência, mas pela reta justiça.”

 Os chefes religiosos se ressentem com a popularidade de Jesus com o povo. Jesus ensina claramente e é condenado por curar um homem no sábado, então Ele pergunta : ” Se vocês podem circuncidar um homem no sábado para que a Lei se cumpra porque outro não pode ser curado?” Jesus é do céu ou da terra ?

A pergunta de Jesus cria um dilema para os príncipes dos sacerdotes e os anciãos . Os líderes religiosos se esquivam da pergunta que Jesus fez . Mas temos de enfrentá-la: De onde vem Sua autoridade ? É Jesus do céu ou da terra ? Ele é apenas mais um professor, ou ele realmente tem autoridade para nos mostrar o caminho da salvação ? Se rejeitarmos Jesus , rejeitamos o Reino de Deus e entramos em julgamento.

 Mateus 7: 1-5 Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.

E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?
Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.”

 Julgar é o mesmo que avaliar?

 “Não julgueis para que não sejais julgados” é uma das declarações bíblicas mais conhecidas – mesmo entre pessoas que não são cristãs .Quando um incrédulo ouve cristãos falarem sobre pecado ou sobre um comportamento errado ou imoral ,eles pensam neste verso e querem chamar a atenção para a inconsistência, orgulho e a hipocrisia dos cristãos.

 1.Há maneiras erradas para aplicar esta passagem:

Se uma pessoa usa esta passagem como uma saída de emergência para escapar de qualquer tipo de responsabilidade moral , isso é um motivo errado . Isso é uma má aplicação do ensino de Jesus. Jesus não está nos ensinando que devemos suspender todo o julgamento e não avaliar se algo é certo ou errado. Jesus ensina claramente que há certo e errado. Então, usar estes versos para escapar da culpabilidade moral é um erro .

Outra má aplicação desta passagem é usá-la para se desviar de críticas que outra pessoa tem de nós. Quando usamos esta passagem para apontar a culpa de alguém , estamos saindo do que Jesus está dizendo . Jesus está ensinando a auto- avaliação. Não é uma forma para atacar alguém, nem um escudo para nos desviar das críticas. É um espelho para olharmos as nossas próprias falhas.

2. Somente aceitando o julgamento de Deus é que podemos deixar de ser críticos em relação a outras pessoas .Jesus está ensinando sobre a atitude de julgamento – de constantemente criticar os outros para nos movermos em direção a uma maior consciência de nossas próprias falhas. Ele está apresentando um padrão de comportamento em detrimento de outro. Jesus ensina a chave para escaparmos do julgamento de Deus se agirmos erradamente.

 Hebreus 4:13 “E não há criatura alguma encoberta diante dele , mas todos estão nus e expostos aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas. “

 Hebreus 9:27Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo .”

 Em Mateus 6 , Jesus nos ensinou a orar a Deus como Pai . Aprendemos que nosso Pai celeste recompensa a nossa fidelidade e atos de devoção feitos em segredo para com Ele. Jesus nos mostra que Deus também é Juiz. Existe uma contradição?

 “Deus é Pai e Juiz. Para o incrédulo que rejeita o julgamento de Deus sobre a sua vida, também vai rejeitar o privilégio de tê-lo como Pai; em rejeitar a graça paternal de Deus , o incrédulo O encontra como Juiz. Para o cristão , o conhecimento de Deus como Pai ,transforma a visão dele como juiz , e o conhecimento de que Ele é juiz o leva a admiração que Deus é também o Pai ” – . Sinclair Ferguson

 O julgar é errado quando flui com a noção de que temos um padrão mais alto ou de que estamos acima de alguém. Ter a compreensão de Deus como nosso juiz transforma a nossa visão dos outros . Temos um novo ponto de referência , um ponto de referência vertical. A vida não é mais apenas para nos compararmos com os outros em um nível horizontal – se estamos melhor ou pior do que eles. É sobre como somos avaliados por Deus.

Jesus está nos mostrando: só aceitando a Deus como seu Juiz podemos escapar de uma perspectiva crítica. Quando vemos Deus como juiz sobre a nossa vida – mesmo quando não somos bons em algo , chega a graça que necessitamos.

 Com a medida que usarmos, também será usada para nos medir . Com a forma que nos portamos, seremos julgados por Deus.

3. Jesus dá uma ilustração específica do tipo de atitude de julgamento que ele é contra. Seu objetivo principal parece ser a de nos mostrar quão tolo, insensato e fora de propósito é a crítica. É como uma pessoa que está tentando tirar um pedaço de serragem do olho do seu amigo enquanto ele tem uma placa de 2×4 enorme saindo de seu próprio olho. A imagem revela quão tolo é quando somos julgadores em relação aos outros e vemos as suas falhas sem nenhuma referência da nossa própria.

 O ensinamento de Jesus aponta para o fato de que muitas vezes o nosso juízo vem sob a forma de “Ajudar” outras pessoas, que pode ser o nosso cônjuge, nossos filhos, ou membro de seu grupo ou seu amigo não cristão. Quem você está vendo como o seu próprio “projeto” pessoal agora? O seu desejo de ajudar é motivado por amor ou por um sentimento de que você é melhor do que eles?

Jesus está nos mostrando que se realmente amamos essas outras pessoas, se realmente queremos ajudá-las , precisamos começar focar em nossas próprias falhas.

 Mateus 7: 6Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas, não aconteça que as pisem com os pés e, voltando-se, vos despedacem.”

 4. Jesus diz que não criticar não significa que você não deve exercer sabedoria. Os cães não apreciam o que é santo. Os porcos não têm utilidade para as pérolas. Se você jogar pérolas para tentar acalmá-los , eles podem acabar se virando e tentando te prejudicar. Em alguns casos, há pessoas que são tão irritadiças e ” anti- Deus ” que não é aconselhável tentar envolvê-las com as coisas sagradas e as pérolas da sabedoria de Deus. Isto não é sobre julgar as pessoas como indignos ou chamando-os de cães e porcos . Trata-se de uma espécie de sábio critério, que reconhece o que é e o que não é apropriado em certas situações.

 Por exemplo, um amigo que é “gozador” quando se trata de questões de fé. Sempre que está com outras pessoas , ele quer discutir , zombar da fé e discursar contra a Bíblia . Deus quer que o amemos, oremos por ele e, quando apropriado pacientemente compartilhemos o evangelho com ele. Sabedoria é evitar o confronto quando sabemos que ele não está realmente interessado na verdade ou na compreensão de quem é Deus. Isto não é uma atitude de julgamento ou superioridade. Jesus está nos chamando para o discernimento para partilharmos a verdade na ocasião adequada. Conhecer verdadeiramente Deus é cuidar dos outros com a consciência de nossas próprias falhas ao invés de propriamente focar nos defeitos dos outros .

 Para lembrarmos: Tal como acontece com o resto do Sermão da Montanha, Jesus não está meramente nos chamando para uma vida melhor , para sermos mais agradáveis, pessoas menos críticas. Jesus está nos chamando para Ele mesmo. Ele nos chama para o arrependimento e para colocarmos a nossa fé Nele. Jesus não é apenas um professor qualificado ou um homem de sabedoria . Ele é o Filho de Deus que veio ao mundo para nos salvar dos nossos pecados. Ele é o perfeito Filho de Deus, que foi julgado por nós na cruz .

Parábola dos dois filhos (Mateus 21: 28-32)

1. Jesus conta uma parábola . Fala de um filho, que inicialmente se recusa a instrução do pai e depois obedece ; o outro filho , inicialmente, responde a instrução de seu pai, mas , em seguida, desobedece .

2. Deve ter sido um momento tenso . Os líderes religiosos estavam bem ali no meio da multidão , e é óbvio que Jesus estava falando sobre eles. Jesus faz um contraste desfavorável : de um lado

 prostitutas e coletores de impostos e de outro a elite religiosa que conheciam e ensinavam as Escrituras , mas não andavam em obediência a Deus. Jesus dizia que os pecadores que os líderes religiosos tanto desprezavam ,como a escória da terra, iriam entrar no reino de Deus à frente deles. Era um soco no estômago deles!

3. Não importa o que dizemos com os lábios , se rejeitarmos a mensagem de Deus com as nossas vidas, seremos excluídas do seu Reino.

Parábola dos lavradores maus (Mateus 21: 33-41 )

1. Jesus usa essa parábola para ensinar a Israel uma triste história de infidelidade. Mais e mais eles rejeitaram o seu legítimo Proprietário e foram atrás de falsos deuses e falsa adoração. Quando Deus enviou -lhes os seus profetas , eles foram espancados , apedrejados, e morreram.

2 Na parábola, o dono da vinha decide enviar um último mensageiro – o filho. Este marca um momento crucial no Evangelho de Mateus , porque é a primeira vez que Jesus abertamente afirma a sua identidade como Filho de Deus. Ao invés de respeito e homenagem ao filho, eles o jogam para fora da vinha para matá-lo. Podemos então compreender que a rejeição do filho resulta em julgamento rápido .

 A pedra rejeitada torna-se a pedra angular(Mateus: 42-46)

1. Jesus cita o Salmo 118 para explicar como a sua rejeição pelos sacerdotes e anciãos é o cumprimento do propósito pré- ordenado de Deus. Embora deixado de lado pelos líderes da Israel , Jesus – a pedra angular que une tudo , a única fonte de salvação – é exaltado por Deus para a posição de maior glória. Através de sua humilhação e crucificação, Deus vai cumprir o seu propósito eterno de redimir e reconciliar os pecadores .

2. Rejeitar Jesus tem consequências graves. Por causa da dureza de seus corações, o reino de Deus é tirado dos líderes religiosos e dado a outros (vs. 43) . Já não é salvação restrita aos judeus. O reino de Deus foi dado a um novo povo – homens e mulheres de todas as tribos, todas as nações , que acreditam em Jesus Cristo.

 Conclusão

1. O que podemos aprender ? Há esperança para qualquer um de nós que nos sentimos como se tivéssemos desperdiçado nossas vidas em pecado. O reino de Deus está aberto para as prostitutas e os cobradores de impostos – e para nós. Jesus abre os braços ! Abandonar seu pecado e submeter-se a Ele.

2. Aprendemos também que devemos examinar nossa própria resposta a Jesus e a sua autoridade. Ser “bonzinho” na vida social e em atividades religiosas não impressionam a Deus se não estamos humildemente em obediência .

Nossas promessas passadas e a herança espiritual não significam nada se não estamos vivendo em submissão a Jesus Cristo hoje. Ele é cheio de graça , mas ele deve ser temido . A pedra angular da nossa salvação é também a pedra de julgamento. Vamos obedecer hoje. 

Share
Postado por Agnes nas categorias biblia, estudo em April 30th, 2014. No Comments.

Luz do… armário da despensa? – Max Lucado

Algumas noites atrás aconteceu algo peculiar.

Uma tempestade provocou um apagão em nosso bairro. Quando as luzes se apagaram, tateei no meio da escuridão até o armário em que guardávamos as velas para situações como essa. Por meio da luz de um fósforo aceso, olhei na prateleira onde ficavam as velas. Lá estavam elas, já posicionadas em seus lugares, derretidas em vários níveis devido a missões anteriores. Peguei os fósforos e acendi quatro velas.

E como iluminaram a despensa! O que antes era um véu de escuridão, de repente irradiava com luz suave e dourada! Podia ver o freezer no qual havia acabado de bater o joelho. E podia ver minhas ferramentas que precisavam ser consertadas.

- Como é ótimo ter luz! – disse em voz alta. Depois me dirigi às velas.- Se vocês fazem um trabalho tão bom aqui no armário, esperem só até eu levá-las para onde são realmente necessárias! Colocarei uma de vocês na mesa para que eu possa ler. Darei uma de vocês a Denalyn para que ela possa costurar. E deixarei você – disse para a maior- na sala de estar, onde pode iluminar todo o cômodo.

(Eu me sentia meio bobo por conversar com velas – mas o que você faz quando as luzes se apagam?)

Estava me virando para sair com a vela maior quando escutei uma voz.

- Ei, deixe essa vela aí.

Parei por um instante. “Alguém está aqui”, pensei. Depois relaxei. “Deve ser a Denalyn, gracejando comigo por conversar com velas.”

- OK, querida, chega de brincadeira – eu disse na semi-escuridão. Nenhuma resposta. “Humm, talvez fosse o vento.”Dei outro passo.

-Eu disse para deixá-la aí!

Havia uma voz. Minhas mãos começaram a suar.

-Quem disse isso?

-Eu disse.

A voz vinha de perto da minha mão.

-Quem é você? O que é você?

-Eu sou uma vela.

Olhei para a vela em minhas mãos. Uma chama forte e dourada ardia. Era vermelha e ficava num pesado suporte de madeira contendo uma alça firme.

Olhei ao redor mais uma vez para conferir se a voz estaria vindo de outro lugar.

-Não há mais ninguém aqui, além de você e de mim, e o restante de nós, velas – a voz me informou.

Levantei a vela para olhar mais de perto. Você não vai acreditar no que vi. Havia uma pequena face na cera da vela. ( Falei que você não acreditaria em mim.) Não apenas um rosto de vela esculpido por alguém, mas um rosto em ação, movendo-se, cheio de expressão e vida.

- Não me tire daqui!

- Quê?

- Eu disse para não me tirar deste armário.

- Que você quer dizer?

Eu tenho de tirar você daqui. Você é uma vela. Seu trabalho é iluminar. Está escuro do lado de lá. As pessoas estão roendo as unhas e subindo nas paredes. Você tem de sair daqui e iluminar o local!

- Mas você não pode me levar para lá. Eu não estou pronta – explicou a vela com olhos de súplica. – Preciso de mais preparo.

Não conseguia acreditar no que estava ouvindo.

- Mais preparo?

- Sim, eu decidi que preciso pesquisar esse negócio de iluminar para que eu não saia por aí fazendo um monte de bobagem. Você ficaria surpreso se soubesse como o brilho de uma vela destreinada pode ser distorcido. Por isso estou fazendo alguns estudos. Acabei de terminar um livro sobre resistência ao vento. Estou no meio de uma série de vídeos sobre acúmulo de pavio e conservação, e estou lendo o novo sucesso de vendas sobre exibição de chamas. Já ouviu falar dele?

- Não – respondi.

- Você talvez apreciasse. Chama-se Eloquência encerada.

- Isso soa bastante interessante… – Então caí na real.

O que estou fazendo? Estou aqui conversando com uma vela enquanto minha esposa e filhas estão lá no escuro!”

- Tudo bem, então – disse. – Você não é a única vela na prateleira. Vou assoprar você e levar as outras!

No momento em que enchi minhas bochechas de ar, contudo, escutei outras vozes:

- Nós também não vamos!

Era uma conspiração. Virei-me e olhei para as outras três velas, cada qual com chamas dançando sobre seu rosto em miniatura.

Estava me sentindo mais que desconfortável nisso de conversar com velas. Comecei a ficar irritado.

- Vocês são velas, e seu trabalho é iluminar lugares escuros!

Bem, essa pode ser sua opinião – disse a vela na extremidade esquerda, um sujeitinho bem alto, magro, com cavanhaque e sotaque clássico. – Pode ser que, em sua opinião, nós tenhamos de ir, mas eu estou ocupado.

- Ocupado?

- Sim, estou meditando.

- O quê ? Uma vela que medita?

- Sim. Estou meditando na importância da luz. É realmente esclarecedor.

Decidi argumentar com elas.

- Ouçam, eu aprecio o que vocês estão fazendo. Dou total apoio para um tempo de meditação. E todo mundo precisa estudar e pesquisar; mas, pelo amor de Deus, vocês estão aqui há semanas! Já não tiveram tempo suficiente para ajeitar seu pavio? E vocês duas? – perguntei. – Vocês também vão permanecer aqui?

Uma vela pequena, roliça, de cor púrpura com bochechas rechonchudas que me faziam lembrar Papai Noel, falou:

- Estou esperando minha vida ficar em ordem. Não sou estável o suficiente. Perco a paciência com facilidade. Acho que você poderia dizer que eu sou meio cabeça quente.

A última vela tinha uma voz musical, muito agradável de ouvir.

- Eu gostaria de ajudar – explicou ela. – Mas iluminar a escuridão não é meu dom.

Aquela história toda começou a soar familiar.

- Não é o seu dom? O que você quer dizer?

- Bem, sou uma cantora. Eu canto para as outras velas a fim de encorajá-las a brilhar mais intensamente.

Sem pedir minha permissão, ela começou uma versão do hino “Brilha no meio do teu viver”. ( tenho que admitir, tinha uma bela voz.)

As outras três se juntaram, enchendo o cômodo de música.

- Ei – gritei por sobre a música – eu não me importo se vocês cantarem durante o trabalho! Na verdade, poderíamos mesmo usar um pouco de música ali!

Elas não me ouviram. Estavam cantando alto demais. Eu berrei com mais força ainda.

- Vamos lá, pessoal. Existe tempo de sobra para isso mais tarde. Temos uma crise aqui.

Elas não pararam. Coloquei uma vela maior na prateleira, dei um passo para trás e analisei o absurdo daquilo tudo. Quatro velas perfeitamente saudáveis cantando uma para a outra sobre brilhar, mas se recusando a sair do lugar. Fiz tudo o que podia. Uma por uma eu as apaguei. Continuaram cantando até o fim. A última a piscar foi a de voz feminina. Soprei sobre ela bem na parte do hino que dizia “jazem na negra escuridão”.

Coloquei as mãos no bolso e caminhei de volta no escuro. Bati o joelho no freezer de novo. Depois, trombei com minha esposa.

-Onde estão as velas? – perguntou ela.

- Elas não… elas não funcionam. Onde você comprou aquelas velas, aliás?

- Ah, elas são da igreja. Lembra-se da igreja que fechou as portas no outro lado da cidade? Eu as comprei lá.

Eu entendi.

 

Share
Postado por Agnes nas categorias reflexao em April 11th, 2014. No Comments.

Adeus à Carpintaria – Max Lucado

As dobradiças da pesada porta rangeram quando ele a abriu. Com alguns passos, atravessou a carpintaria silenciosa e abriu as persianas de madeira para que um feixe de luz solar penetrasse a escuridão, desenhando um quadrado ilumeinado no chão empoeirado.

Olhou em torno da carpintaria. Deteve-se por um momento no refúgio do pequeno recinto que abrigava tantas lembranças doces. Equilibrou o martelo em sua mão. Passou os de dedos por entre os dentes afiados da serra. Acariciou a madeira suave do cavalete. Ele veio para dizer adeus.

Era o momento de partir. Ele ouvira algo que o fez saber que era hora de ir. Assim, veio sentir pela última vez o cheiro de serragem e de madeira cortada.

A vida era calma aqui. A vida era tão…segura.

Ali ele passou incontáveis horas de contentamento. Naquele chão empoeirado, brincou quando criança enquanto seu pai trabalhava. Ali José o ensinou a segurar um martelo. Enaquele cavalete ele construiu sua primeira cadeira.

Fico imaginando o que ele pensou ao dar uma última olhada naquele espaço. Talvez tenha ficado parado por um tempo. Talvez tenha ouvido vozes do passado preenchendo o oar.

Bom trabalho,Jesus.”

José, Jesus, venham comer.”

Não se preocupe, senhor, vamos terminar a tempo. Jesus vai me ajudar.”

Fico imaginando se ele hesitou. Se seu coração ficou dividido. Se rolou um prego entre o polegar e os dedos, antevendo a dor.

Foi na carpintaria que ele ter concebido seus pensamentos. Ali conceitos e convicções foram entrelaçados a fim de dar forma ao tecido de seu ministério.

É quase possível ver as ferramentas do ofício em suas palavras. É possível ver a exatidão de um fio de prumo enquanto ele proclama suas normas morais. É possível imaginá-lo com um lápis e um livro-razão enquanto pede por honestidade.

Foi ali que suas mãos humanas moldaram a madeira que suas mãos divinas haviam criado. E foi ali que seu corpo amadureceu enquanto seu espírito aguardava o momento certo, o dia certo.

E agora esse dia havia chegado.

Não deve ter sido fácil partir. Afinal de contas, a vida como carpinteiro não era ruim. Não era nada ruim. O negócio andava bem. O futuro era luminoso, e seu trabalho , agradável.

Em Nazaré ele era conhecido apenas como Jesus, o filho de José. Pode ter certeza de que ele era respeitado na comunidade. Era bom com as mãos. Tinha vários amigos. O favorito dentre os filhos. Sabia contar uma boa piada e o hábito de encher o ar com risos contagiantes.

Fico imaginando se ele quis ficar. “Poderia fazer um bom trabalho aqui em Nazaré. Acertar a vida. Construir uma família. Ser um líder da comunidade.”

Fico imaginando porque sei que ele já havia lido o último capítulo. Ele sabia que os pés que sairiam pela porta segura da carpintaria não descansariam até que fossem perfurados e pendurados numa cruz romana.

Veja, ele não tinha de ir. Ele possuía uma escolha. Poderia ter ficado. Poderia ter mantido a boca fechada. Poderia ter ignorado o chamado, ou pelo menos adiado. E tivesse ele escolhido ficar, quem saberia? Quem o teria culpado?

Ele poderia voltar como homem numa outra época, quando a sociedade não fosse tão volátil, quando a religião não fosse tão rançosa, quando as pessoas prestassem mais atenção.

Poderia voltar quando a cruz estivesse fora de moda.

Mas seu cpração não permitiria isso. Se houvesse hesitaçãopor parte da sua humanidade, foi superada pela compaixão de sua divindade. Sua divindade ouviu as vozes. Ouviu o clamor desalentado do pobre, as acusações amargas do abandonado, o desespero vacilante dos que tentam salvar a si mesmos.

E sua divindade viu as faces. Algumas enrugadas. Algumas chorando. Algumas escondidas atrás dos véus. Algumas obscurecidas pelo medo. Algumas sinceras em sua busca.Algumas empalidecidas pelo tédio. Da face de Adão até a face do último bebê nascido em alguma parte do mundo enquanto você lê estas palavras, ele as viu todas.

E pode ter certeza de uma coisa. Dentre as vozes que ressoaram naquela carpintaria em Nazaré estava a sua voz. Suas orações silenciosas proferidas em travesseiros manchados por lágrimas foram ouvidas, antes mesmo de serem ditas. Suas perguntas mais profundas sobre a morte e a eternidade foram respondidas, antes mesmo de serem feitas. E sua necessidade mais extrema, sua necessidade de um Salvador, foi atendida, antes mesmo de você pecar.

E ele não apenas ouviu você; ele o viu. Viu sua face resplandecer quando você o conheceu pela primeira vez. Viu sua face corar de vergonha quando levou o primeiro tombo. A mesma face que olhou para você naquele espelho matinal, olhou para ele. E foi o suficiente para matá-lo.

Ele partiu por sua causa.

Guardou sua segurança junto com seu martelo. Pendurou sua tranquilidade junto com seu avental. Fechou as persianas da janela com o resplendor de sua juventude e trancou a porta com o conforto e a comodidade do anonimato.

Uma vez que lhe era mais fácil carregar nossos pecados do que carregar o pensamento de nossa desesperança, ele escolheu partir.

Foi difícil. Dizer adeus à carpintaria nunca é fácil.

Share
Postado por Agnes nas categorias biblia, reflexao em April 8th, 2014. No Comments.

Escalar galhos ou sentar-se nos ramos – Max Lucado

José estava firmemente sentado em seu ramo de árvore. Era um ramo grosso, confiável e perfeito como assento. Era tão forte que não tremia quando irrompiam as tempestades, nem sacudia quando sopravam os ventos. Não, esse ramo era previsível e sólido, e José não tinha intenção alguma de sair dali.

Isto é, até lhe mandarem subir num galho.

Estando ali, sentado a salvo em seu ramo, olhou para o galho que Deus desejava que ele escalasse. Nunca vira um galho tão fino! “Isso não é um lugar para um homem ir”, disse a si mesmo. “Não tem lugar para sentar. Não tem proteção contra o mau tempo. E como é que alguém dorme pendurado num graveto tremulante desse?”Recuou um pouco, apoiou-se no tronco, e analisou a situação.

O senso comum lhe dizia para não subir no galho. “Concebido pelo Espírito Santo? Ora, faça-me o favor!”

A autodefesa lhe dizia para ficar ali. “Quem vai acreditar em mim? O que nossas famílias vão pensar?”

A conveniência lhe dizia para não sair do lugar. “Logo agora que eu esperava acertar as coisas e criar uma família.”

O orgulho lhe dizia para ignorar o chamado. “Se ela pensa que vou acreditar numa lorota dessa…”.

Mas Deus lhe dissera para subir. E é isso que o incomodava.

Isso o incomodava porque ele estava feliz naquele lugar. A vida junto ao tronco era boa. Seu ramo era grande o suficiente para lhe proporcionar um assento confortável. Estava perto de vários sentadores de ramos e havia feito algumas contribuições válidas para a comunidade da árvore. Afinal de contas, não fazia visitas regulares aos doentes no Centro Médico do Ramo Norte? E não era ele o melhor tenor do Coral dos Cantores Arborizados? E o que dizer da aula que lecionava sobre herança religiosa, com o apropriado título “Nossa Árvore genealógica”? Certamente Deus não queria que ele saísse dali. Ele tinha…Bem, podia-se dizer que ele tinha criado raízes naquele lugar.

Alem disso, ele conhecia o tipo de gente que escalava galhos. Radicais. Extremistas. Liberais. Gente sempre exagerada. Sempre agitando as folhas. Sujeitos com a cabeça cheia de idéias estranhas, à procura de frutos esquisitos. Ora, os homens estáveis são aqueles que sabem ficar perto de casa e deixar essas coisas pré lá.

Tenho a impressão de que alguns de vocês se identificam com José. Sabem como ele se sente, não é? Vocês já estiveram ali. Estão sorrindo porque também já foram chamados a escalar um galho vez ou outra. Conhecem o desequilíbrio resultante dessa coisa de ter um pé na sua vontade e outro na vontade Dele. Vocês também já cravaram as unhas no tronco da árvore para se segurarem melhor. Sabem bem a sensação de ter o estômago se revirando quando percebem mudanças no ar.

Talvez haja mudanças no ar neste exato momento. Talvez você esteja no meio de uma decisão. É perturbador, não é? Você gosta do seu ramo. Acostumou-se com ele, e ele com você. E, tal como José, você tem sido um ótimo sentador de ramos. E é então que você ouve o chamado. “Preciso que você escale um galho e…

tome uma posição.Um pessoal das igrejas locais está organizando uma campanha contra a pornografia. Eles precisam de voluntários.”

mude-se. Pegue sua família e vá para outro continente; tenho um trabalho especial para você.”

perdoe. Não importa quem feriu primeiro. O que importa é que você vá lá e construa a ponte.”

evangelize. Sabe aquela nova família no quarteirão? Não conhece ninguém na cidade. Vá lá conversar com ela.

…sacrifique. O orfanato tem uma dívida a vencer este mês. Não tem como pagá-la. Sabe aquele bônus que você recebeu na semana passada?”

Seja qual for a natureza do chamado, as consequências são as mesmas: guerra civil. Ainda que seu coração diga sim, seus pés dizem não. Desculpas irrompem como folhas douradas no vento de outono. “Não tenho talento para isso.”É hora de outra pessoa assumir essa responsabilidade.””Agora não. Farei isso amanhã.”

Mas, no final, você acaba contemplando uma árvore desnuda e a difícil escolha: a vontade Dele ou a minha?

José escolheu a Dele. No fim das contas, era a única opção. José sabia que a única coisa pior que uma aventura rumo ao desconhecido era a idéia de dizer não a seu Mestre. Assim, resoluto, ele agarrou o galho menor. Com lábios cerrados e um brilho determinado nos olhos, pôs uma mão na frente da outra até ficar pendurado no ar,; a fé em Deus sendo sua rede de segurança.

Como se descobriria , os temores de José eram justificados. A vida já não seria confortável como antes. O galho que agarrou era, de fato, pequeno: O Messias nasceria de Maria e seria criado em sua casa. Durante nove meses, controlou os impulsos para que o bebe pudesse nascer de uma virgem. Teve de afastar as ovelhas e limpar a sujeira das vacas para que sua esposa tivesse um lugar para dar à luz. Tornou-se fugitivo da lei. Passou dois anos tentando entender a lingua egípcia.

Por vezes aquele galho deve ter balançado furiosamente ao romper dovento. José, porém, apenas fechava os olhos e segurava firme. Mas pode estar certo de uma coisa: ele nunca se arrependeu. Doce foi a recompensa pela sua coragem. Uma olhada no rosto daquele bebê celestial e num piscar de olhos ele sabia que faria tudo de novo.

Você já foi chamado por Deus para subir num galho? Pode apostar que não será fácil. Escalar galhos nunca foi fácil. Pergunte a José. Ou, melhor ainda, pergunte a Jesus.

Ele conhece melhor que ninguém o preço de ser pendurado numa árvore.

Share
Postado por Agnes nas categorias biblia, reflexao em April 4th, 2014. No Comments.

Da Infantilidade à Maturidade – Segunda Parte

Provérbios 4:23  Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida.”

Romanos 12:2Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

1 Coríntios 13:1  Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.”

2 Coríntios 10:3-5 Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas;Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo.”

Temos um cérebro e pensamos todo o tempo. O que pensamos gera sentimentos que terminam no que falamos e agimos. A Palavra de Deus nos ensina a renovarmos o nosso pensamento e o dominarmos se queremos agradar a Deus. É no pensamento onde o inimigo entra. Se ele dominar nossos pensamentos , ele vai nos dominar.

Vimos na primeira parte desse estudo “Da Infantilidade à Maturidade”: Os sinais da pessoa infantil; as consequências da infantilidade; a decisão de deixar essas infantilidades pedindo a Deus para revelar a origem e nos restaurar.

Continuando o mover da Infantilidade à maturidade….

 5- Repare o danos que a sua infantilidade causou.

 Podemos com nossas atitudes, como e o que falamos ter magoado ou ferido. Como consertar?

  •  Seja sensível a voz de Deus. Se nasceu de novo, aceitou a Jesus com Senhor e Salvador da sua vida , o Espírito Santo habita em você ;
  • Aceite responsabilidades; quando errou não de desculpas ou coloque a culpa do erro em outros

  • Admita o fracasso;

  • Peça perdão;

  • Dê tempo para a confiança ser restaurada; é necessário frutos de arrependimento;

  • Saiba que nem todas as tentativas da vida serão um sucesso.

 6- Ponha rédea nos seus pensamentos.

 Gálatas 5:22-23Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.

2 Timóteo 1:7 Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio.

 Como vamos colocar uma rédea nos nossos pensamentos?

-Sentindo que a força da nossa mente está na direção errada, o Espírito Santo nos alerta;

-Vendo que as nossas atitudes e ações estão mostrando que já estamos indo no caminho errado em nossos pensamentos;

- Aplicando freios mentais;

- Observando as consequências  de continuarmos nessa forma de pensar e onde iremos chegar;

-Lembrando do que realmente queremos, queremos crescer!

7- Redirecionar a nossa mente para a maturidade espiritual e emocional.

Efésios 4:22-24Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; E vos renoveis no espírito da vossa mente; E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.

Use a lista do “Fruto do Espírito”como um guia para o pensamento maduro.

- amor

-Alegria

-Paz

-Paciência

-Bondade

-Fidelidade

-Gentileza

-Mansidão

-Auto-controle, domínio próprio

 2 Coríntios 13:11 “Quanto ao mais, irmãos, regozijai-vos, sede perfeitos, sede consolados, sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco.”

 Quando estivermos ansiosos, tensos ou preocupados… direcionaremos as rédeas da nossa mente para a Paz que só Deus pode dar. Sabemos quem Ele é, conhecemos o Seu amor, sabemos que deu a Sua vida para nos resgatar da morte…podemos confiar!

Trazendo os frutos do Espírito para a nossa mente vamos viver como Jesus quer que vivamos, à Sua semelhança.

Share
Postado por Agnes nas categorias biblia, estudo em April 3rd, 2014. No Comments.

Da Infantilidade à Maturidade – Primeira Parte

Provérbios 4:23  Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida.”

Romanos 12:2 “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

1 Coríntios 13:1 Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.”

A nossa mente produz pensamentos todo o tempo. Conseguimos enxergar a imaturidade nos outros e quase sempre damos desculpas para a nossa. Estamos tendo pensamentos de uma criança ou de um adulto?

1- Veja os sinais da pessoa infantil.

Alguns sintomas de infantilidade. Crianças:

  • Choram, fazem beicinhos e choramingam muito;

  • Necessitam atenção;

  • Transformam pequenas situações em dramas;

  • São impacientes – O que elas querem é pra já.

  • São ciumentas e competitivas;

  • Não têm controle emocional;

  • Se ofendem facilmente;

  • Ficam agitadas e são briquentas;

  • Tudo tem que girar em torno dos seus problemas;

  • São inconstantes, ingênuas e com expectativas sonhadoras,

  • Preferem a distração à responsabilidade.

Provérbios 22:15 “A insensatez está ligada ao coração da criança….”

2- Entenda as consequências da infantilidade.

A infantilidade leva a:

  • Irritação, ansiedade, angústia e uma vida frustrada;

  • Impulsividade e uma vida irresponsável;

  • A uma vida isolada;

  • A desperdiçar a vida.

3- Tome a maior decisão da sua vida: “Eu vou crescer”

Lucas 15: 11-20 Jesus continuou: “Um homem tinha dois filhos. O mais novo disse ao seu pai: ‘Pai, quero a minha parte da herança’. Assim, ele repartiu sua propriedade entre eles. “Não muito tempo depois, o filho mais novo reuniu tudo o que tinha, e foi para uma região distante; e lá desperdiçou os seus bens vivendo irresponsavelmente. Depois de ter gasto tudo, houve uma grande fome em toda aquela região, e ele começou a passar necessidade.Por isso foi empregar-se com um dos cidadãos daquela região, que o mandou para o seu campo a fim de cuidar de porcos. Ele desejava encher o estômago com as vagens de alfarrobeira que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada. “Caindo em si, ele disse: ‘Quantos empregados de meu pai têm comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome! Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra ti.Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados’.A seguir, levantou-se e foi para seu pai. “Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou.”

4- Peça a Deus para te restaurar.

Salmos 23: 1-3 “O Senhor é o meu pastor; de nada terei falta.Em verdes pastagens me faz repousar e me conduz a águas tranqüilas;restaura-me o vigor. Guia-me nas veredas da justiça por amor do seu nome.”

Jeremias 30: 17 “Farei cicatrizar o seu ferimento e curarei as suas feridas’, declara o Senhor, ‘porque a você, Sião, chamam de rejeitada, aquela por quem ninguém se importa’.

Lucas 15: 20-24A seguir, levantou-se e foi para seu pai. “Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou.”O filho lhe disse: ‘Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho’.”Mas o pai disse aos seus servos: ‘Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. Coloquem um anel em seu dedo e calçados em seus pés.Tragam o novilho gordo e matem-no. Vamos fazer uma festa e comemorar. Pois este meu filho estava morto e voltou à vida; estava perdido e foi achado’. E começaram a festejar.”

Somente o Espírito Santo de Deus pode nos restaurar de traumas, rejeições ou qualquer outra área que nos leve a repostas ou reações imaturas e infantis. Jesus, o filho de Deus, morreu na cruz, ressuscitou no terceiro dia para restaurar o que foi corrompido em nossas vidas e para nos ensinar o caminho da obediência para crescermos a semelhança de Cristo.

Share
Postado por Agnes nas categorias biblia, estudo em March 30th, 2014. No Comments.

É tudo sobre Jesus! João 6

Jesus vai nos ensinar utilizando os milagres da Multiplicação dos Pães e Jesus andando sobre o mar quem Ele realmente era. Adoramos falar e pensar sobre nós mesmos, sentimos como se fôssemos o centro do universo: O meu problema é o mais sério, a minha dor é a mais grave, o que penso é o certo…. o EU é muito forte…meus direitos, minha justiça…É por isso que precisamos ser lembrados de que a vida não gira ao nosso redor – a vida gira ao redor de Jesus.

 Podemos achar que ser cristão é muito fácil, basta usarmos frases prontas ou slogans cristãos que se é cristão. Porém é necessário ir bem mais fundo que isso. Nossas vidas devem apontar para Jesus. As três histórias contidas em João 6 mostram suas obras, sua identidade e sua graça . Juntas, elas reforçam uma lição vital : se não entendemos Jesus , não entendemos o que é ser cristão.

A multiplicação dos pães alimentando 5 mil (João 6: 1-15 )

1 . Jesus estava sozinho , provavelmente em luto pela morte de seu primo João Batista, quando as multidões O encontraram. Ele poderia mandá-los embora , mas teve compaixão delas . Jesus ensinava , curava , e os alimentava . Através de Jesus , vemos que Deus se importa com as nossas necessidades espirituais, mas também com as físicas.

2 . O objetivo da história narrada sobre a Multiplicação dos Pães em João 6 não é só contar sobre o milagre de Jesus alimentando uma multidão faminta com apenas 5 pães e 2 peixes. O povo se voltava para Jesus, não por causa de Jesus, mas porque queriam o que Ele poderia lhes dar, não é o que acontece hoje em dia também? Não mudou nada, não é? A verdade é que a multidão sempre vai atrás de coisas materiais, do que pode ganhar; mas também existe o seguidor ocasional quando se escandaliza ou não entende algo, se afasta; e por último, o discípulo, mesmo não compreendendo muitas coisas, permanece.

4 princípios para pensarmos :

Primeiro princípio- O comer é central na Palavra de Deus, comer é colocar algo para dentro visando prazer e satisfação.

- A forma de Deus nos transformar é mudando a nossa dieta. Se uma pessoa se converte, mas não muda a sua dieta, essa pessoa não irá crescer.

  • No Gênesis, o primeiro pecado ocorreu porque o homem comeu errado, hoje o homem é salvo por comer certo, Jesus é a pão da vida. 
  • Em Exodo 12,antes da última praga,  Deus manda os judeus, antes de saírem do Egito, assarem um cordeiro, comerem e aspegirem os umbrais das portas com o sangue desse cordeiro.. Aquele cordeiro apontava para o Senhor Jesus que é o cordeiro definitivo que tira o pecado do mundo.
  • Na Ceia do Senhor, Jesus diz apontando para o pão no momento em que ceiavam: “Esse é o meu corpo que é partido por vós, comei-o em memória de mim”.
  • Em João 6:48-50 Jesus faz uma comparação entre o maná, providenciado  por Deus para o seu povo, quando Moisés os conduzia através do deserto, e Ele, Jesus,   como o Messias prometido , o verdadeiro pão libertador do povo de Deus . Jesus não só deu pão para o povo, mas Ele é o pão – o pão da vida.O Egito simboliza o mundo, você é o que come, quem come comida egípcia é egípcio, quem come comida mundana é mundano, por isso Deus mudou a dieta deles mandando o maná. 

Deuteronômio 8:3 “Ele te humilhou e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná que tu não conhecias, nem teus pais o conheciam, para te dar a entender que não só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do Senhor viverá o homem.”

Segundo Princípio :A comida é fonte de energia. Cristão desnutrido é porque não se alimenta. Precisa se dispor a buscar. Deus não tem compromisso com quem não quer comer. O cristão pode ter inanição espiritual. É cristão, mas está morto.

Terceiro Princípio : Falta de apetite. Na Palavra de Deus vemos vários paradoxos, que seria uma aparente contradição, como:  para receber , precisa dar; para ser exaltado tem que se humilhar; para nascer é preciso morrer e o mais incrível que possa parecer, tem fome, quem come. Quando se resolve fazer jejum, no primeiro dia se sente muito a falta de comer, principalmente nas horas em que estamos acostumados a nos alimentar; no quarto ou quinto dia, fica-se sem apetite; a partir do oitavo dia precisamos forçar para comer. O mesmo ocorre no mundo espiritual.

Quarto Princípio :Envolve prazer.

1 Pedro 2:2   “Desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele vos seja dado crescimento para salvação, se é que já tendes a experiência de que o Senhor é bondoso.”

Jesus faz mais do que atender às necessidades daquela multidão – há 12 cestos que sobraram ! Sua graça é super abundante. As Escrituras transbordam com promessas dessa graça , como aquelas em Romanos 8 . Somos mais do que vencedores, por meio daquele que nos ama. Não há condenação para os que estão em Cristo. Nada pode nos separar do amor de Deus.

Na cruz Jesus ofereceu sua carne e o seu sangue que se tornaram nossa vida.

Qual é a forma de se comer do Senhor? No versículo 65  Jesus diz: “É comendo a Palavra do Senhor . As Palavras que eu vos tenho dito são espírito e vida.”A Palavra precisa estar fluindo dentro de nós.

 Jesus anda sobre as  águas (João 6:16-24 )

1 . Imediatamente após a alimentação dos cinco mil , Jesus fez seus discípulos entrarem no barco e irem para o outro lado. Ele sabia que o maior perigo não eram os fariseus ou as autoridades romanas , mas os aplausos e a aclamação da multidão. É uma tentação constante , especialmente para aqueles que estão no ministério. Nosso orgulho se aquece naturalmente em auto glória. É tudo sobre Jesus, devemos nos policiar para não nos corrompermos com as obras ou os elogios.

 2 . Depois de serem jogados durante toda a noite num barco por uma tempestade , os discípulos vêem Jesus,entre 3 e 6h da manhã, que vinha andando sobre a água e pensaram ser um fantasma.. Traduzido literalmente , sua saudação a eles é: ” Tende bom ânimo . Eu sou. Não tenham medo . “Parece gramaticalmente estranho para nós, mas os discípulos sabiam que Jesus estava se identificando como Javé , Jeová Deus, o grande “Eu Sou”. E quando o grande “EU SOU” está próximo, não precisamos ter medo. Você já se sentiu em desespero? Tenha bom ânimo – seu Salvador está próximo. Ele não vai deixar você ser atingido pela tempestade , o seu timing é sempre certo.

 3 . Pedro, sempre ousado e franco , pede a Jesus para ir ter com Ele . Surpreendentemente, ele o faz . Pedro realmente caminha sobre a água ! Mas então, ele vê o vento, que toma o lugar dos olhos de Jesus, então começa a afundar. Não é o mesmo que ocorre conosco? Quando as circunstâncias da vida e os problemas nos fazem esquecer que é tudo sobre Jesus , nós caímos.

 4 . Mas note a resposta de nosso Senhor. Como um pai gentil com uma criança com medo , Ele imediatamente o resgata e gentilmente o repreende . “Homem de pequena fé, por que duvidou?” A fé de Pedro era pequena . Seus temores eram grandes . Mas Jesus pode fazer grandes coisas , mesmo com pouca fé . Isso não é encorajador ?

 5 . Podemos sentir como se estivéssemos afundando, sobrecarregados com as tempestades da vida. O que fazer? Clame como Pedro, “Senhor, salva-me! ” A graça de Deus é maior do que a nossa dúvida e pecado. Jesus está pronto e é capaz para nos salvar . Podemos sentir que a vida nos cercou com ondas enormes , mas não é a verdade. Jesus tem a verdadeira realidade..

 Muitos Curados

1 .Jesus é capaz de fazer muito mais do que podemos pedir ou imaginar. Ele está pronto para ajudá-lo.

2 . Você está disposto a sair do barco e ir ter com Ele ? A fé perfeita não é necessária. Deus pode e vai responder ao menor grito de socorro.

3 . Depois de conhecermos suas obras , sua identidade e sua graça, só há uma resposta certa para Jesus, e foi o que os discípulos fizeram depois que ele acalmou a tempestade, Eles O adoraram .

À medida que crescemos em nossa compreensão de que o sentido verdadeiro da vida aponta para Jesus, nosso coração vai explodir dizendo com admiração: ” Verdadeiramente tu és o Filho do Deus vivo.”

Share
Postado por Agnes nas categorias biblia, estudo em March 9th, 2014. No Comments.

A Graça de Deus – João 6

Por que estamos estudando o evangelho de João ?

Para exaltar Cristo. Só por Jesus que os corações são tocados e os pecadores se convertem a Deus. João Batista quando deu testemunho de Jesus , não disse: Eis-me aqui , ou : Eis aqui a igreja, ou : Eis aqui as ordenanças , mas ” Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo . ” Se as almas devem ser salvas , devemos apontar diretamente a Cristo.

 Devemos ensinar a verdade, Cristo deve ser definido como o ” Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” . A história da graça deve ser dita repetidamente – linha sobre linha, e preceito sobre preceito . 

 Milagres são como sinais de trânsito que apontam para algo maior

 1 . Alguma vez já se perguntou como deveria ler  os milagres de Jesus ? Como eles poderiam afetar a sua vida?

Em primeiro lugar , é preciso lê-los , como o resto da Bíblia, como sendo absolutamente verdadeiros. Não honramos a Deus e à sua Palavra  tentando explicar os milagres como histórias fantasiosas . O Deus que criou o mundo é capaz de trabalhar supernaturalmente de maneiras que não podemos explicar .

Em segundo lugar, precisamos entender a função dos milagres de Jesus . Alguém disse uma vez que os milagres de Jesus funcionam como sinais de trânsito. Pense em um sinal de trânsito . Numa estrada, o sinal não é um fim em si mesmo. Não paramos o nosso carro para olharmos e nos maravilharmos com um sinal. Em vez disso, um sinal nos aponta para algo maior. Ela nos aponta para uma realidade que precisamos prestar atenção.

2 . Para onde os milagres de Jesus apontam ?

Primeiro,e mais importante, nos apontam para Jesus , Ele mesmo. Quando vemos o Seu poder, olhamos para Ele e O adoramos. Como os discípulos , podemos dizer com admiração e reverência : “Quem é este homem que até o vento e o mar lhe obedecem? ” Quem é este homem que os demônios se acovardam a seus pés ? Quem é este homem que a doença foge à sua palavra? Quem é este homem que alimenta milhares de pessoas e transforma a água em vinho ? Ele é o único Filho do Deus Altíssimo ! Ele é o Deus de poder infinito !

Em segundo lugar, os milagres apontam para a natureza do Reino de Deus. Jesus ensinava : “Arrependei-vos , pois o Reino dos Céus está próximo”.Jesus percorria as cidades proclamando o ” Evangelho do Reino ” .

O que é Reino dos céus? É onde Deus reina. É Deus consertando nosso mundo quebrado. É Deus tomando o controle . Jesus está dizendo: ” Afastem-se do pecado, arrependam-se , porque Deus está invadindo o mundo para assumir o controle”.  Os milagres mostram  que um dia tudo o que está errado neste mundo, por causa do nosso pecado e rebelião, será corrigido pela graça e poder de Deus .

 Graça de Deus é sempre maior do que o esperado.

 1 . Em João 6  aprendemos com O milagre da multiplicação dos pães” e “Jesus andando sobre as águas” que Jesus quer nos mostrar que a Sua missão final é mostrar que “Ele é o pão verdadeiro que desceu do Céu.”

 2 . Jesus está ensinando que a Sua graça é sempre maior do que podemos pensar. O povo de Israel era o povo escolhido de Deus. Ele lhes deu a Sua lei. Ele prometeu que por meio deles a salvação viria. Mas o que eles se esqueceram é que a salvação que Ele traria, através deles, era para o mundo inteiro . Deus prometeu a Abraão : “… em ti todas as famílias da terra serão abençoados ” (Gênesis 12:3) . O propósito de salvação de Jesus incluía todos os continentes, todo grupo de pessoas , todas as nações e línguas. Você já parou para pensar como é grande o propósito redentor de Deus? Que tamanho na sua vida é a graça de Deus?

 3 . O círculo da graça de Jesus é sempre maior do que podemos imaginar. Ele quer salvar os ricos e pobres em nossa cidade. Ele quer alcançar as nações muçulmanas . Ele quer salvar as pessoas voando em jatos particulares e os nativos que vivem nas selvas . Ele quer salvar homossexuais e heterossexuais . Ele quer chegar em nossas vidas desarrumadas , contaminadas pelo pecado e nos transformar, nos mudar  e nos dar a vida. Nunca devemos parar de agradecer a Deus pela a grandeza da sua graça e nunca devemos parar de falar desta graça a outras pessoas que precisam dela .

 Graça vem para aqueles que sabem que não merecem

 1 . João 6 começa com Jesus preocupado com a multidão que O seguia. Eles o seguiam porque  curava a todos os doentes. Aquela multidão não pediu pão, mas Jesus sabia que necessitariam. A segunda parte de João 6 fala de Jesus andando sobre as águas e indo ao encontro dos discípulos. O mais curioso é que em Mateus 14: 22 vemos Jesus insistindo com os discípulos para que fossem para o outro lado, enquanto ele despedia a multidão, Ele não sabia que eles iriam passar uma situação muito difícil nessa travessia com vento e ondas? Por que insistiu que fossem?

 2 . Jesus sempre diz o que Ele diz e faz o que Ele faz com um propósito amoroso , mesmo quando não podemos compreender imediatamente. Algo semelhante estava acontecendo. Ele permitiu aquela situação para o bem da multidão e por causa de seus discípulos . Ele queria mostrar o poder da fé  . Há momentos em que Jesus não nos dá o que queremos quando queremos porque ele quer aperfeiçoar e fortalecer a nossa confiança Nele . E isso é verdade nos dois milagres. 

3 . Por que Jesus deve responder aos nosso pedido de socorro ? Por que ele quer salvar pessoas como nós, que estamos mergulhadas em pecado? Por que ele deveria amar e resgatar as pessoas que duvidam Dele e o ignoram ? A resposta é a graça.

 4 . A confiança que temos é de que receberemos ajuda por causa da compaixão e graça de Jesus. Então, quando o inimigo diz: ” Você não é bom o suficiente para Deus. Você cometeu muitos erros . Você nasceu para o mal. Você é indigno”. Você pode responder:” Você está certo. Eu não sou bom o suficiente. Eu tenho cometido erros. Eu sou um pecador e indigno…mas Jesus me amou e deu a sua vida por mim, um pecador indigno” .Essa é a gloriosa verdade do evangelho de Jesus Cristo.

 

Share
Postado por Agnes nas categorias biblia, estudo em March 6th, 2014. No Comments.